Norte, Guarda, Vila Nova de Foz Côa

Parque Arquelógico e Museu do Côa

Acesso grátisSábado, 19 de junho, Domingo, 20 de junho

Rua do Museu
5150-620 Vila Nova de Foz Côa

https://arte-coa.pt
adicionar

O Parque Arqueológico do Vale do Côa situa-se na zona mais a Norte do distrito da Guarda, na região conhecida por Alto Douro. No troço final do rio Côa localizam-se mais de 80 sítios com arte rupestre e cerca de 1200 rochas gravadas, num território de cerca 200 kms2 abrangendo os concelhos de Vila Nova de Foz Côa, Figueira de Castelo Rodrigo, Pinhel e Mêda.

Este extraordinário conjunto rupestre distribui-se ao longo do rio Côa, numa extensão de cerca de 30 kms, e também do rio Douro, ao longo de cerca 15 kms, para ambos os lados após a embocadura do Côa. Em 10 de Agosto de 1996, foi criado o Parque Arqueológico do Vale do Côa com a missão de gerir, proteger, investigar e mostrar ao público a arte rupestre.

Visita guiada

Visita guiada

Visita ao Núcleo de Arte Rupestre de Vale José Esteves

O Vale de José Esteves é um dos vales adjacentes ao Museu do Côa.

O núcleo de arte rupestre de Vale de José Esteves não se encontra no conjunto de sítios que o Parque Arqueológico do Vale do Côa faz visitas guiadas, sendo esta uma visita excepcional a alguns dos painéis decorados.

A arte rupestre deste vale caracteriza-se pelos motivos que pertencem à segunda fase da arte paleolítica do Vale do Côa, de cronologia Magdalenense (que se estende até 10 000 antes do presente) e são obtidos por incisão filiforme o que requer o acompanhamento por um guia especializado para uma interpretação cuidada. Figurações mais tardias, datadas da Idade do Ferro, são de mais fácil visualização.

Ponto de encontro: Museu do Côa I 9h30
Duração da visita: cerca de 2 horas
Atividade gratuita mas de inscrição obrigatória com limitação de participantes de acordo com o Plano de Contingência da Fundação Côa Parque e das diretivas da DGS em vigor no dia da atividade.
Para mais informações e inscrição contactar: 
@ mail: museugeral@arte-coa.pt
Telefone: (+351) 279 768 260

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 09:30 à 09:30

Famílias, Adultos

Visita guiada

Visita guiada

No Rasto dos Caçadores Paleolíticos do Vale do Côa

A investigação arqueológica realizada ao longo dos últimos anos no Vale do Côa apontam para a presença, no Paleolítico Superior, de grupos humanos, que se deslocariam sazonalmente, instalando-se em acampamentos ora no fundo do vale, ora nas áreas planálticas para onde partiam em busca de caça.

É esta ocupação do território que o percurso No Rasto dos Caçadores Paleolíticos e a Oficina de Arqueologia Experimental com que a visita termina, pretendem ilustrar.
Com partida do centro da aldeia de Algodres, o percurso reconstitui os trilhos pelo vale e planalto que os caçadores paleolíticos do Vale do Côa fariam há 25 000 anos atrás.
A visita inicia-se com vista sobre o Vale do Côa, onde se observa o sítio da Cardina, acampamento do Paleolítico superior que foi objeto de escavações arqueológicas. O percurso segue ao longo de um curso de água, a Ribeirinha, visitando-se um local escavado, a Olga Grande, com ocupação humana no Paleolítico superior. Aqui, é realizada uma oficina de arqueologia experimental reconstituindo-se os gestos destas comunidades de caçadores recolectores.

Local de partida: Aldeia de Algodres, junto à Igreja Matriz
Ponto de encontro: 9h30
Duração da visita: cerca de 3 horas
Atividade gratuita mas de inscrição obrigatória com limitação de participantes de acordo com o Plano de Contingência da Fundação Côa Parque e das diretivas da DGS em vigor no dia da atividade.
Para mais informações e inscrição contactar: 
@ mail: museugeral@arte-coa.pt
Telefone: (+351) 279 768 260

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 09:30 à 12:30

Famílias, Adultos

Contacto imprensa :

Rosa Jardim

rosajardim@arte-coa.pt

+351 279768267/0

  • Cartaz JEA

Mapa de acesso

-7.112333 41.079861