Imprimir o programa

Select your region or print the program.

Baixe o programa como um PDF

  • Lisboa
37 resultados
Lisboa, Lisboa, Peniche

Museu Nacional Resistência e Liberdade - Fortaleza de Peniche

Fortaleza de Peniche, Campo da Republica 609
2520-607 Peniche, Portugal

http://www.museunacionalresistencialiberdade-peniche.gov.pt/pt/

O Museu Nacional Resistência e Liberdade nasce do reconhecimento da Fortaleza de Peniche enquanto espaço-memória e símbolo maior da luta pela liberdade à escala nacional, com ressonâncias internacionais na luta ancestral e atual pela Democracia e pelo respeito dos Direitos Humanos.

De âmbito multidisciplinar, o Museu Nacional Resistência e Liberdade terá como missão a preservação da memória histórica da Fortaleza de Peniche e da Luta do Povo Português, em particular, da Resistência à Ditadura, pela Liberdade e pela Democracia.

Visita guiada

Arqueologia da Resistência na Fortaleza de Peniche | Visita presencial
20 JUNHO 2021 | 15H00 - Visita aos espaços analisados do Museu Nacional Resistência e Liberdade - Fortaleza de Peniche

Ângela Alves, Museu Nacional Resistência e Liberdade
Maria Ramalho Arqueóloga, Divisão do Património Imóvel, Móvel e Imaterial, DGPC
Marina Pinto, Era Arqueologia

Necessária inscrição prévia | geral@mnrl.dgpc.pt

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 15:00 à 16:00 (Visita presencial)

Todos os públicos

Estudantes

Secundário

Visita presencial

Conferência

Arqueologia da Resistência na Fortaleza de Peniche - Apresentação digital
Arqueologia da Resistência na Fortaleza de Peniche
Apresentação digital

19 JUNHO 2021|15H00 – 17H00

São objetivos principais da apresentação:
• Entender os contributos da arqueologia para o conhecimento de espaços repressivos;
• Conhecer os resultados dos trabalhos de análise técnica das paredes interiores da prisão e da prospeção geofísica dos espaços;
• Exibição de um vídeo documental de curta duração;
A apresentação é em língua portuguesa.
Necessária inscrição prévia para a apresentação digital e visita presencial | geral@mnrl.dgpc.pT

PROGRAMA
15H00 - SESSÃO DE ABERTURA
Maria Catarina Coelho Diretora do Departamento de Bens Culturais, DGPC
Teresa Albino Coordenadora do Museu Nacional Resistência e Liberdade
Chefe de Divisão do Património Imóvel, Móvel e Imaterial, DGPC

15H15 - Arqueologia da Resistência na Fortaleza de Peniche
Rui Gomes Coelho Durham University, Reino Unido
Marina Pinto ERA Arqueologia SA
Vanessa Rodrigues ERA Arqueologia SA

EXIBIÇÃO DE VÍDEO DOCUMENTAL

Moderação:
Maria Ramalho, Arqueóloga, Divisão do Património Imóvel, Móvel e Imaterial, DGPC

16H45 - Debate

17H00 - ENCERRAMENTO


Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 15:00 à 17:00 (Apresentação digital)

Todos os públicos

Apresentação digital

Não se aplica

Lisboa, Lisboa, Loures

Citânia de Sanfins

Rua do Forte Monte Cintra
2685-141 Sacavém

http://www.patrimoniocultural.gov.pt/static/data/jea/exposicao_jornadas_arqueologia-sipa_compressed1

A Citânia de Sanfins, classificada como Monumento Nacional (Decreto n.º 35 817, DG, 1.ª Série, n.º 187, de 20 agosto 1946), implanta-se na freguesia de Sanfins de Ferreira e, um pequeno setor, na de Eiriz, do concelho de Paços de Ferreira, distrito do Porto, num planalto sobranceiro com ampla vista panorâmica sobre o concelho, o litoral Atlântico, os vales do Vizela e do Sousa, enquadrado por várias serranias.

Ocupando uma área com mais de 15 hectares, constitui um dos maiores e mais significativos povoados fortificados nacionais e do noroeste peninsular.

Exposição

Citânia de Sanfins: Memórias das escavações subsidiadas pela Direção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais (1944-1968)
A presente exposição virtual pretende documentar, através do espólio documental da ex-DGEMN, constante no Arquivo do Forte de Sacavém, o interesse suscitado pela Citânia de Sanfins a partir da década de 40, as diligências feitas, quase ininterruptamente, entre 1944 e 1968, para a classificar, preservar e conservar as estruturas arqueológicas que se iam descobrindo.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 01:00 à 23:50 Sábado, 19 de junho de 01:00 à 23:50 Sexta-feira, 18 de junho de 01:00 à 23:50

Crianças, Famílias, Adultos, Todos os públicos, Estudantes

Estudantes

Secundário

Lisboa, Lisboa, Loures

Sítio Arqueológico de Frielas

Sítio arqueológico de Frielas
Quinta do Caiado, Frielas

Visita guiada ao Sítio Arqueológico de Frielas, em formato presencial, dirigido ao público em geral. Participação de Filomena Barata.
dia 27 de junho, 10h00.

Lisboa, Lisboa, Loures

Museu Municipal de Loures

Quinta do Conventinho
Estrada Nacional 8, Km 4,3
2660-346 Santo António dos Cavaleiros

https://www.cm-loures.pt/AreaConteudo.aspx?DisplayId=775

Instalado no 13.º convento dos frades franciscanos da Província de Santa Maria da Arrábida, o Museu Municipal de Loures apresenta, desde 26 de julho de 1998, exposições de temática arqueológica e etnográfica, com o intuito de dar a conhecer a realidade e a vivência das populações rurais do município, assim como a história do concelho de Loures.

Possui duas salas de exposições, oficinas, reservas visitáveis, um centro de documentação especializado em história local, loja, cafetaria com esplanada, parque de estacionamento e acesso para pessoas com mobilidade reduzida.

Oficina

Arqueologia no Museu
Pretende-se mostrar o que é uma escavação arqueológica, conhecendo o museu através da atividade de um arqueólogo, sensibilizando para o património arqueológico e espaço da Quinta do Conventinho.

Participação gratuita, mediante pré-reserva (se_conventinho@cm-loures.pt
211 150 507
211 150 912).

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 15:00 à 16:30 Domingo, 20 de junho de 10:00 à 11:30

Famílias

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas, Deficiência mental

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Visita guiada

A Conservação e Restauro e a sua importância na Arqueologia
As Conservadoras Restauradoras do MNA, tendo por «cenário» a exposição Ídolos. Olhares Milenares, revelam através de exemplos concretos, a importância e significado que a Conservação e Restauro têm para Arqueologia.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 11:30 à 12:20

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu de Lisboa - Teatro Romano

Rua de São Mamede 3A
1100 532 Lisboa

http://www.museudelisboa.pt/

Museu de sítio localizado na zona histórica da cidade, este núcleo do Museu de Lisboa revela um dos mais importantes monumentos da Felicitas Iulia Olisipo: o seu teatro, cujas estruturas datam do século I d.C.

Pelo 3º ano consecutivo, o Museu de Lisboa - Teatro Romano associa-se às Jornadas Europeias da Arqueologia com uma programação diversificada para miúdos e graúdos.

Todas as atividades são gratuitas, mediante reserva obrigatória para:
reservas@museudelisboa.pt

Demonstração

Quem criou A Festa de Baco
Conversa e demonstração de A Festa de Baco com os criadores do jogo.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 16:30 à 17:30

Todos os públicos

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas

Contenido digital

A Festa de Baco
Os deuses, como de costume, fizeram uma grande confusão no teatro. Felizmente, os nossos aprendizes chegaram mesmo a tempo para preparar tudo para a ocasião!

Vem ao museu celebrar a Festa de Baco.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 18:00 (Mediante solicitação na receção do museu)

Crianças, Adultos, Todos os públicos

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas

Oficina

Manel e Chico descobrem o Teatro Romano
Manuel e Chico descobrem o Teatro Romano é um livro infantojuvenil escrito por Bruno Magina.

O autor conta a história conturbada da descoberta do teatro romano no longínquo ano de 1798.

Descobre a história desta descoberta através de fantoches!

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 11:00 à 12:15

Crianças, Famílias

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas

Contenido digital

A arqueologia urbana de Lisboa
Mini-documentário sobre a Arqueologia urbana de Lisboa, para conhecer mais sobre a cidade e a sua história.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 11:00 à 18:00

Adultos, Estudantes

Oficina

Como escavam os arqueólogos
Oficina para público mais jovem sobre algumas tarefas feitas pelos arqueólogos: escavar, limpar, catalogar, desenhar. E até levam para casa uma surpresa!!!

Atividade desenvolvida com o apoio de verdadeiros arqueólogos do teatro romano de Lisboa.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 14:30 à 18:00 Sábado, 19 de junho de 14:30 à 18:00

Crianças, Famílias

Visita guiada

Segredos que a arqueologia revela
Percurso em redor do teatro romano.

O chão, as paredes, os edifícios, tudo o que nos rodeia guarda segredos. São histórias passadas prontas a ser reveladas se as quisermos e conseguirmos ouvir.

Venha descobrir connosco alguns destes segredos!

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 11:30 à 12:45

Todos os públicos

Oficina

Os Escribas de Olisipo
A ocupação de escriba era uma das mais populares entre os romanos.

Dominar a arte da escrita não era para todos.

Experimenta, nesta atividade, desenhar letras e palavras, em tabuinhas de cera, como um verdadeiro escriba em Olisipo.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 11:00 à 12:00

Crianças, Famílias

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Laboratório de Arqueociências (LARC)

10A Calçada do Mirante à Ajuda
1300-418 Lisboa

http://www.patrimoniocultural.gov.pt/en/

O Laboratório de Arqueociências (LARC) é uma estrutura de investigação da Direção-Geral do Património Cultural que integra diferentes áreas disciplinares que se complementam.

Tem como principal objetivo produzir conhecimentos sobre aspetos de natureza económica, social, cultural e biológica das populações ancestrais, bem como da sua relação e interação com o meio ambiente. Para concretizar este desafio, são várias as disciplinas dedicadas ao estudo do Passado através da análise dos vestígios recuperados em contexto arqueológico.

Contenido digital

Encontro com o LARC
Na companhia de investigadores do LARC, o filme explora algumas das ciências da arqueologia que se dedicam a desvendar o passado humano com base no estudo dos restos materiais encontrados em sítios arqueológicos.

Acesso grátis

Todos os públicos

Estudantes

2.º e 3.º ciclo, Secundário

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu do Dinheiro | Núcleo de Interpretação da Muralha de D. Dinis

Largo de São Julião
1100-150 Lisboa

www.museudodinheiro.pt

Classificada como Monumento Nacional, a Muralha de D. Dinis é a Única muralha medieval de Lisboa que pode ser
apreciada e compreendida através de um Núcleo de Interpretação.

A exposição situa-se na cripta da antiga Igreja de S. Julião/Museu do Dinheiro, e leva-nos numa viagem de mais de 1000 anos pela história de Lisboa.

Conferência

A Muralha de D. Dinis pelo arqueólogo Artur Rocha (online)
Em 2010, no decurso de obras de requalificação do quarteirão-sede do Banco de Portugal, em Lisboa, foi feita uma descoberta marcante para a História da cidade: um troço da muralha de D. Dinis.

Desde então, nasceu um Centro de interpretação que permite o acesso público ao Monumento, fizeram-se exposições, publicaram-se materiais de divulgação geral, estreitaram-se colaborações científicas, e sobretudo fez-se investigação e produziu-se conhecimento sobre a cultura material de Lisboa.

Nesta apresentação em formato online, o arqueólogo Artur Rocha faz uma síntese dos principais resultados científicos e iniciativas de divulgação pública deste sítio arqueológico, desde 2011 até à data.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 11:00 à 12:00

Adultos

Apresentação em português

Lisboa, Lisboa, Vários

UNIARQ - Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa
Alameda da Universidade
1600-214 Lisboa

https://www.uniarq.net/

A UNIARQ, Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa, é uma unidade de I&D financiada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT). O principal objectivo da UNIARQ é o estudo das sociedades humanas do ocidente peninsular através dos dados arqueológicos, desde o Paleolítico até à Lusitânia romana e posterior.

A UNIARQ, unidade orgânica da FL-UL, é dirigida, desde 18 de Outubro de 2016, por Carlos Fabião e está organizada em Projectos.

Contenido digital

Arqueologia e vidro: Desde a Antiguidade até à Idade Média
A Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) decidiu declarar 2022 como o Ano Internacional do Vidro com o objectivo de destacar a sua importância científica, económica e cultural em campos tão variados como a medicina, a engenharia aeroespacial, o fabrico de jóias, louça de mesa, espelhos ou telemóveis.

Nesta exposição faremos uma breve viagem através da história do vidro do seu estudo arqueológico. Como foi feito o vidro? Onde? Para quê? Como sabemos?

Por Jorge de Juan Ares (UNIARQ, FLUL)

Reunião ZOOM
ID: 955 3968 0697
Senha de acceso: 5f6xWH

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 11:00 à 12:00

Todos os públicos

Dia aberto

Visita aos bastidores das colecções da arqueologia colonial portuguesa
Venha ao Centro de Arqueologia na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa ver como uma equipa de arqueólogos e estudantes de Arqueologia, se encontram a inventariar materiais líticos de uma estação arqueológica identificada numa antiga colónia portuguesa, Angola - Capangombe Velho, com mais de 101 mil artefactos. Esta coleção do Instituto de Investigação Tropical foi depositada na Universidade de Lisboa, em 2015, e encontra-se sob a gestão do Museu Nacional de História Natural e da Ciência, e curadoria do Professor João Pedro Ribeiro, da UNIARQ.

Porta principal da FLUL, às 14h.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 14:00 à 16:00

Todos os públicos

Contenido digital

E tu? Tens MEDO dos estranhos?
O que relaciona o medo, um sentimento, os estranhos, uma categoria de pessoas e a Arqueologia? Aparentemente nada?!

Ou tudo? Como Arqueólogos, estudamos pessoas do passado, com emoções e reacções perante o que as rodeava.

Em Arqueologia, estudamos todos os vestígios deixados pelas sociedades antigas, os objectos, as construções e até os restos humanos que contam histórias de chegadas, de confrontos e de encontros.

Partindo do Presente, das nossas existências construídas com coisas novas, vindas de lugares distantes e com outras que têm raízes muito antigas é proposta, a todos os participantes, uma viagem ao Passado, aos períodos Neolítico e Calcolítico – 6º-3º milénio AC - momentos em que, aquilo que hoje, consideramos familiar pode ter parecido assustador.

Mariana Diniz – UNIARQ
Professora Associada FLUL

https://videoconf-colibri.zoom.us/j/88584972165?pwd=YlppUUNCMTdTM0t0aHQzbGx4RkJ0QT09

ID da reunião: 885 8497 2165
Senha de acesso: 809686​

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 11:30 à 12:30

Todos os públicos

Dia aberto

Os animais e os romanos : o que nos diz a Zooarqueologia!
Sessão no âmbito do projecto BROMAN - Exploração e consumo de recursos biológicos no ocidente Ibérico em Época Romana (PTDC/HAR-ARQ/4909/2020).

Apresentação de restos osteológicos de sítios romanos da Lusitânia onde se observa influência dos romanos na seleção artificial e gestão de bovinos e cães.

Ponto de encontro: Porta principal da Faculdade de Letras de Lisboa, às 10h
Période(s) archéologique(s) :

Antiguidade

Opérateur :

Cleia Detry

-Aménageur :

Cleia Detry

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 12:00

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Loures

Museu de Cerâmica de Sacavém

Museu de Cerámica de Sacavém
Praça Manuel Joaquim Afonso
2685-145 Sacavém

http://www.patrimoniocultural.gov.pt/static/data/jea/jea1.pdf

Visita virtual à exposição “Vivências quotidianas do Convento de Cristo após a extinção da Ordem, através da cultura material e documental.“

O nosso convite é partirmos de Tomar, do Convento de Cristo, numa viagem de regresso a Sacavém…

Trouxemos fragmentos de cerâmica, testemunhos materiais das vivências quotidianas que ali ocorreram. Neste regresso à Fábrica da Loiça, reconstituem-se as suas formas originais, completam-se os seus desenhos e desvendam-se as suas funcionalidades. Assim recupera-se a sua dimensão humana e imaginam-se as histórias e estórias que protagonizaram!

Exposição

Exposição : Vivências quotidianas do Convento de Cristo, após a extinção da Ordem, através da cultura material e documental
Visita virtual da exposição que está patente no Museu de Cerâmica de Sacavém, organizada em parceria entre o Município de Loures e a DGPC.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 18:00 (online)Sábado, 19 de junho de 10:00 à 18:00 (online)Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 18:00 (online)

Todos os públicos

visita online

Lisboa, Lisboa, Torres Vedras

Tholos do Barro

Monte da Pena, Rua Principal, Barro
2560-241 Torres Vedras

http://www.cm-tvedras.pt/agenda/detalhes/115607/

O Museu Municipal Leonel Trindade promove visitas às escavações arqueológicas a decorrer no Tholos do Barro, 112 anos após a sua descoberta e os primeiros trabalhos arqueológicos. A campanha de 2021 resulta de uma parceria entre o Município de Torres Vedras e a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, através do seu Centro de Arqueologia (UNIARQ). Pretende-se reestudar o monumento, promover a sua salvaguarda e melhorar as condições de visita ao imóvel, que é Monumento Nacional desde 1910.
O Tholos do Barro é um sepulcro colectivo do III.º milénio a. C., descoberto em 1909 por Paul Bovier-Lapierre. É formado por uma câmara circular, com tecto em falsa cúpula, e por um corredor de acesso. O Tholos do Barro é o maior e mais bem conservado sepulcro de falsa cúpula existente em Portugal.

Dia aberto

Dia Aberto no Tholos do Barro
Para celebrar as Jornadas Europeias de Arqueologia, o Museu Municipal Leonel Trindade promove visitas às escavações arqueológicas a decorrer no Tholos do Barro, 112 anos após a sua descoberta e os primeiros trabalhos arqueológicos que aí tiveram lugar. Mais de um século depois, a campanha de 2021 pretende reestudar o monumento, promover a sua salvaguarda e melhorar as condições de visita ao imóvel, classificado como Monumento Nacional desde 1910.
Période(s) archéologique(s) :

Protohistória

Opérateur :

Museu Municipal Leonel Trindade

-Aménageur :

Município de Torres Vedras / Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 16:00 à 19:00

Todos os públicos

Existe algum grau de limitação para pessoas com mobilidade reduzida.

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Circuito de descoberta

A Arqueologia e as novas tecnologias: Religiões da Lusitânia. Loquuntur saxa – Venha ouvir as pedras falar
Experiência ZOOMGUIDE que permite aos visitantes na exposição Religiões da Lusitânia - Loquuntur Saxa ouvir, autonomamente, sobre 40 dos bens culturais expostos uma história que os contextualiza na sua época.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 17:30 Sábado, 19 de junho de 10:00 à 17:30 Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 17:30

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos.

O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média.

Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Visita guiada

Ídolos. Olhares Milenares
A exposição Ídolos. Olhares Milenares é o cenário para, num encontro com a arqueologia, se descobrir o deslumbrante e variado conjunto de representações em pedra, osso, marfim e ouro, que tiveram o seu pico de uso e elaboração entre a segunda metade do IV e a primeira metade do III milénio a. C., no Sul da Península Ibérica.

As estatuetas (figurinhas) protagonistas desta exposição fizeram parte da vida dos seus criadores ao longo de milénios e revelam-nos como estes grupos pré-históricos se viam, ou, mais propriamente, como gostariam de ser vistos.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 11:00 à 11:50 et de 16:30 à 17:20

Todos os públicos

Oficina

Laboratório de Arqueologia: A cerâmica romana
Participe nesta atividade e fique a conhecer como os arqueólogos conseguem obter informações sobre os diferentes tipos de cerâmica romana, a sua utilização, origem e data.

Vamos desvendar algumas das tarefas realizadas no laboratório de arqueologia que nos conduzem ao conhecimento sobre como viviam os romanos, como se alimentavam e o que usavam no quotidiano, nas suas casas. Conheça ainda as ânforas e o que sabemos sobre os produtos alimentares que transportaram (peixe, vinho e azeite).

No final poderá ficar ainda a saber como se abasteceram os romanos da Lusitânia e até onde chegaram os alimentos lusitanos, como o famoso garum.

Atividade realizada em parceria com o Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa (UNIARQ) e estudantes de Arqueologia da Faculdade de Letras (FLUL).

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 11:00 à 17:30 Sábado, 19 de junho de 11:00 à 17:30

Todos os públicos

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Visita guiada

Ídolos. Olhares Milenares
A exposição Ídolos. Olhares Milenares é o cenário para, num encontro com a arqueologia, se descobrir o deslumbrante e variado conjunto de representações em pedra, osso, marfim e ouro, que tiveram o seu pico de uso e elaboração entre a segunda metade do IV e a primeira metade do III milénio a. C., no Sul da Península Ibérica. As estatuetas (figurinhas) protagonistas desta exposição fizeram parte da vida dos seus criadores ao longo de milénios e revelam-nos como estes grupos pré-históricos se viam, ou, mais propriamente, como gostariam de ser vistos.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 11:00 à 11:50 et de 16:30 à 17:20

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Visita guiada

Ídolos. Olhares Milenares
A exposição Ídolos. Olhares Milenares é o cenário para, num encontro com a arqueologia, se descobrir o deslumbrante e variado conjunto de representações em pedra, osso, marfim e ouro, que tiveram o seu pico de uso e elaboração entre a segunda metade do IV e a primeira metade do III milénio a. C., no Sul da Península Ibérica. As estatuetas (figurinhas) protagonistas desta exposição fizeram parte da vida dos seus criadores ao longo de milénios e revelam-nos como estes grupos pré-históricos se viam, ou, mais propriamente, como gostariam de ser vistos.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 11:00 à 11:50 et de 16:00 à 16:50

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

No túmulo de Tutankhamon foram encontrados muitos e variados colares de diversificados feitios. Muitos destes colares em ouro, obras-primas da joalharia, exibem magníficas pedras preciosas. Alguns destinavam-se a serem usados em cerimónias mas, também havia colares mais simples, alguns tinham só um amuleto destinado a proteger o faraó.
Neste ateliê/ workshop o visitante é desafiado a fazer o seu colar protetor e a compreender o seu significado.

Oficina

O colar de Tutankhamon
No túmulo de Tutankhamon foram encontrados muitos e variados colares de diversificados feitios. Muitos destes colares em ouro, obras-primas da joalharia exibem pedras semipreciosas. Alguns destinavam-se a serem usados em cerimónias mas, também havia colares mais simples, alguns tinham só um amuleto destinado a proteger o faraó.
Neste ateliê/ workshop o visitante é desafiado a fazer o seu colar protetor e a compreender o seu significado.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 11:00 à 12:30 et de 15:00 à 17:30

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Arqueológico do Carmo

Largo do Carmo (Museu)
1200-092 Lisboa

www.vnsp.arqueologos.pt

Visita guiada, em modo virtual/digital/online, à Sala nº1 do Museu Arqueológico do Carmo. Esta sala encontra-se dedicada ao sítio arqueológico de Vila Nova de São Pedro, um povoado do 3º milénio AC. Nesta visita, poderemos ficar a saber mais sobre este sítio e sobre a cultura material que acompanhava as comunidades do Calcolítico.

Visita guiada

Visita à Sala 1 do Museu Arqueológico do Carmo - online
Visita guiada, em modo virtual/digital/online, à Sala nº1 do Museu Arqueológico do Carmo. Esta sala encontra-se dedicada ao sítio arqueológico de Vila Nova de São Pedro, um povoado do 3º milénio AC. Nesta visita, poderemos ficar a saber mais sobre este sítio e sobre a cultura material que acompanhava as comunidades do Calcolítico.

Visita transmitida em directo pelo facebook (https://pt-pt.facebook.com/vnsp3000/)

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 12:00 à 13:00 (https://pt-pt.facebook.com/vnsp3000/)

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Alenquer

Antiga escola/aula Conde Ferreira

Largo Luis de Camões
1- 2580-286 Alenquer

www.cm-alenquer.pt

Conferência via ZOOM dia 18 pelas 15H00 “Em busca do Templo perdido“. Resultados preliminares dos trabalhos realizados no âmbito do projeto de remodelação do edifício da antiga escola Conde Ferreira/Museu de arqueologia Hipólito Cabaço.

Visita guiada

Roteiro Também dia 19 pelas 10H00 um Roteiro pelas histórias que contam as muralhas do castelo de Alenquer
Caminhada pelo que resta das muralhas defensivas da vila de Alenquer, muralhas inicialmente construídas pelos Visigodos e acabadas pelos Mouros no Século VIII, ano de 714.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 10H00 à 13H00

Crianças, Famílias, Todos os públicos, Estudantes

Estudantes

Primária, 2.º e 3.º ciclo, Secundário

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Visita guiada

Ídolos. Olhares Milenares
A exposição Ídolos. Olhares Milenares é o cenário para, num encontro com a arqueologia, se descobrir o deslumbrante e variado conjunto de representações em pedra, osso, marfim e ouro, que tiveram o seu pico de uso e elaboração entre a segunda metade do IV e a primeira metade do III milénio a. C., no Sul da Península Ibérica. As estatuetas (figurinhas) protagonistas desta exposição fizeram parte da vida dos seus criadores ao longo de milénios e revelam-nos como estes grupos pré-históricos se viam, ou, mais propriamente, como gostariam de ser vistos.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 11:00 à 11:50 et de 15:00 à 15:50

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Oficina

Romanos à mesa
Nesta mesa romana apresentam-se os distintos recipientes que eram utilizados às refeições nas casas romanas na Lusitânia. Enquanto se identificam as formas dos diferentes pratos, taças e tigelas e o modo como eram utilizados, explica-se como sabemos qual a sua origem nas diferentes províncias do Império e a sua data. Além da informação sobre os hábitos alimentares dos romanos, revela-se o modo como foram produzidos os vários recipientes e o que nos podem dizer sobre o comércio e economia da antiguidade.
Atividade realizada em parceria com o Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa (UNIARQ) e estudantes de Arqueologia da Faculdade de Letras (FLUL).

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 11:00 à 17:30 Sábado, 19 de junho de 11:00 à 17:30

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

web: http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Circuito de descoberta

À descoberta dos bastidores do Museu
Para além das exposições, um museu integra vários serviços: inventário, reservas, biblioteca e laboratório de conservação e restauro, entre outros. Nesta visita convida-se o participante a aceder e a conhecer os bastidores do Museu

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 15:00 à 16:30

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Visita guiada

O Antigo Egipto e a Arqueologia
O Museu Nacional de Arqueologia possui a maior coleção de Antiguidades Egípcias do país. A apresentação destes testemunhos materiais, nos quais se integram múmias de animais e três múmias humanas é o convite para se conversar sobre a importância do estudo do Antigo Egito na Arqueologia.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 11:00 à 11:50

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Oficina

Ídolos? Vamos descobri-los!
A exposição Ídolos. Olhares Milenares mostra-nos muitas «figurinhas» feitas em muitos materiais. Estas figurinhas encontram-se no Sul da Península Ibérica e foram feitas pelos nossos antepassados num tempo em que não havia escrita. Há estudiosos que as designam de «ídolos», outros há que acreditam que elas são representações de pessoas e que algumas até nos olham com olhos de sol. Neste ateliê/ workshop vamos conhece-los e dando assas à imaginação, vamos fazer um íman de um ídolo, de uma figurinha … ou de um antepassado?

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 11:00 à 12:30 et de 15:00 à 17:00

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Espetáculo

Lu.Gar. Contado - Sessão de Contos tradicionais: Memórias com História
Os contos divertem, encantam e ensinam gerações desde o alvorecer da humanidade. Contos que nos parecem inventados ontem são, afinal, companheiros centenários de serões passados em redor do fogo. A partir de seis contos tradicionais, três narradores incontornáveis oferecem-nos uma viagem a este mundo fabuloso: Cristina Taquelim, António Fontinha e Ana Sofia Paiva.
As sessões de contos são parte integrante da exposição “LU.GAR.CONTADO - Tradição Oral, um património vivo

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 16:00 à 17:30

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Funchal (Ilha da Madeira)

Museu A Cidade do Açúcar

Praça Colombo nº5

https://www.facebook.com/MuseuCidadedoAcucar

O Museu A Cidade do Açúcar
É um espaço dedicado à história da indústria açucareira insular, entre os séculos XV e XIX, uma das fases mais conhecidas e marcantes da história e cultura da Ilha da Madeira, conhecida como o ciclo do “Ouro branco”. O principal núcleo da coleção do museu recolhe os achados arqueológicos das escavações efetuadas na atual Praça Colombo, nas antigas casas do mercador flamengo Janine Esmenaut, mais conhecido por João Esmeraldo.
Foram nestas escavações que se recolheram artefactos dos séculos XV a XVII. Comtempla também uma coleção de arte.

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Visita guiada

As Antiguidades Egípcias, Tutankhamon e a Arqueologia
O Museu Nacional de Arqueologia possui a maior coleção de Antiguidades Egípcias do país. A apresentação destes testemunhos materiais é o convite para se compreender a importância da Arqueologia na descoberta do túmulo de Tutankhamon.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 11:00 et de 14:00 à 14:30

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Contenido digital

Mosaico das Musas
O Mosaico das Musas, um dos mais notáveis da coleção do Museu Nacional de Arqueologia, classificado como de interesse nacional, provém de escavações efetuadas na Villa Romana de Torre de Palma, Monforte, uma das mais notáveis casas agrícolas de Época Romana conhecidas no Sul de Portugal.
É constituído por 11 painéis figurativos com temas mitológicos: Painel I (Musas). PAINEL I (As nove Musas); Painel II (Cena Báquica); Painel III (Sileno e Sátiro); Painel IV (Duas Ménades); Painel V (Dois Membros do Tiaso); Painel VI (Apolo e Dafne); Painel VII (Hércules e Mercúrio); Painel VIII (Medeia Infanticida); Painel IX (Mégara e Hércules); Painel X (Triunfo de Baco); Painel XI (Teseu e Minotauro).
Através dele, faremos uma longa viagem em torno desta importante casa romana e da importância que a mesma teria no contexto da Lusitânia.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 18:00 Sábado, 19 de junho de 10:00 à 18:00 Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 18:00

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Contenido digital

Heróis, Gigantes e Monstros
O conhecimento dos mitos gregos é essencial para a compreensão da enorme herança grega e romana.
Através desta exposição daremos conhecimento de alguns heróis e monstros que povoam a mitologia, através dos autores gregos e romanos.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 18:00 Sábado, 19 de junho de 10:00 à 18:00 Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 18:00

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Contenido digital

Um Novo Olhar sobre o MNA
O Museu Nacional de Arqueologia resulta do empenho de José Leite de Vasconcelos em criar o Museu do «Homem Português».
É um dos mais importantes centros de investigação na área da Arqueologia.
O acervo do Museu Nacional de Arqueologia inclui artefactos desde a Pré-História ao século XX.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 18:00 Sábado, 19 de junho de 10:00 à 18:00 Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 18:00

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Contenido digital

A folha de loureiro
A «folha de loureiro» é uma ponta de lança ou de dardo, em pedra, com forma geral da folha daquela árvore. Representa o apogeu do trabalho da pedra por lascamento durante o Paleolítico Superior.
Vamos conhecer um pouco da sua história através deste pequeno filme.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 10:00 à 18:00 Sábado, 19 de junho de 10:00 à 18:00 Sexta-feira, 18 de junho de 10:00 à 18:00

Todos os públicos

Lisboa, Lisboa, Cascais

Villa Romana de Freiria

R. da Freiria 2785, São Domingos de Rana

arqueoque.eventbrite.pt

ArqueoQuê? Ou o que é a arqueologia? É um espectáculo na villa Romana de Freiria inserido nas Jornadas Europeias de Arqueologia. O que é a arqueologia? O que faz um arqueólogo? De um modo divertido, simples e em conjunto vamos descobrir estas respostas. Mais não podemos dizer, afinal o segredo é a alma do espectáculo.
Horários:
Dia 18 - 17h
Dia 19 e dia 20 - 16h e 17h
Devido à situação pandémica o uso de máscara é obrigatório a todos os maiores de 10 anos.
Texto: Bárbara Água | Interpretação: Bárbara Água e Maria Giestas | Figurinos: Teatro ao Minuto | Produção: Teatro ao Minuto
Parceria com a Jovem Cascais - CMC
Agradecemos a especial ajuda e o apoio prestado pelo arqueólogo Severino Rodrigues. Assim como aos arqueólogos Guilherme Cardoso e José d'Encarnação responsáveis pela escavação

Espetáculo

ArqueoQuê? Ou, o que é a arqueologia?
Um espectáculo-jogo para fazer em família.

Acesso grátis

Sexta-feira, 18 de junho de 17:00 à 17:30 Domingo, 20 de junho de 16:00 à 16:30 et de 17:00 à 17:30Sábado, 19 de junho de 16:00 à 16:30 et de 17:00 à 17:30

Crianças, Famílias, Todos os públicos, Estudantes

Estudantes

2.º e 3.º ciclo, Secundário

Acessibilidade

Deficiência mental

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Lisboa, Lisboa, Lisboa

Museu Nacional de Arqueologia

Praça do Império
1400-026 Lisboa

http://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/

O Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado, em Dezembro de 1893, por José Leite de Vasconcelos. O Museu, possui o maior acervo arqueológico do país, é a instituição de referência da Arqueologia Portuguesa. Concebido pelo Fundador para ser o “Museu do Homem Português”, continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à Idade Média. Para além das exposições, o Museu oferece à sociedade (portuguesa e estrangeira) numerosa outros serviços: edição regular de publicações, conservação e restauro de bens arqueológicos, seminários, conferências, biblioteca especializada, serviço educativo e de extensão cultural.

Visita guiada

As pedras continuam a falar
A exposição “Religiões da Lusitânia – Loquuntur saxa” é uma rara oportunidade para mergulhar no mundo das crenças do atual território português em época romana. “Pedras que falam” e outros objetos podem mostrar como esse universo sobrenatural tão peculiar de há 2000 anos atrás não é, afinal, tão distante do atual. Uma visita orientada para demonstrar a eloquência dos objetos expostos.

Acesso grátis

Domingo, 20 de junho de 11:00 à 12:00 et de 15:00 à 16:00

Todos os públicos

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas

Lisboa, Setúbal, Almada

Sítio Arqueológico da Quinta do Almaraz

Travessa do Castelo
Almada
2800-048 Almada

O Sítio Arqueológico da Quinta do Almaraz é um povoado do 1º milénio a.C. que surge no contexto da diáspora das populações fenícias para Ocidente.

A localização privilegiada numa plataforma sobranceira ao rio Tejo conduziu a que tivesse um papel determinante nas dinâmicas produtivas, comerciais e administrativas da Foz do Tejo durante aquele período.

O conjunto de materiais recolhidos durante as escavações e as características proto-urbanas da sua arquitetura revelam uma comunidade pujante, que aqui habitou ao longo de vários séculos. É também, por esta razão, um dos mais importantes sítios arqueológicos da região.

Inscrição prévia obrigatória até 17 de junho através do email arqueologia@cma.m-almada.pt

Oficina

Oficina de Olaria
Oficina através da qual se dão a conhecer alguns dos artefactos cerâmicos recolhidos no sítio arqueológico, bem como as técnicas e materiais usados na manufatura de peças em cerâmica, e cada participante fará uma peça em barro inspirada nos objetos do passado.

Promotor : José Serra (artesão).

Inscrição prévia obrigatória até 17 de junho através do email arqueologia@cma.m-almada.pt

O número de participantes na oficina está condicionado às normas e orientações da DGS em vigor.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 10:30 à 12:30

Crianças, Famílias, Adultos, Todos os públicos

Visita guiada

Visita guiada ao Sítio Arqueológico da Quinta do Almaraz
Venha conhecer de perto o património arqueológico do Concelho de Almada através de uma visita guiada por arqueólogos às escavações em curso.

Inscrição prévia obrigatória até 17 de junho através do email arqueologia@cma.m-almada.pt

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 16:00 à 18:00

Crianças, Famílias, Adultos, Todos os públicos, Estudantes

Lisboa, Setúbal, Almada

Sítio Arqueológico da Fábrica Romana de Salga de Peixe de Cacilhas

Largo Alfredo Diniz
Cacilhas
Almada 2800-252

O Sítio Arqueológico da Fábrica Romana de Salga de Peixe de Cacilhas corresponde a um complexo fabril dedicado à transformação de pescado, que terá laborado entre os séculos I e II d.C. Aqui foram identificados até ao momento 10 tanques (cetárias), erguidos em torno de um pátio central, no interior dos quais se procedia à salga de peixe e provavelmente também à produção de molhos piscícolas, um condimento muito popular na gastronomia romana. Depois de elaborados, estes produtos eram transportados por navio, sendo distribuídos a nível local e regional.

Inscrição prévia obrigatória até 17 de junho através do email arqueologia@cma.m-almada.pt

Visita guiada

Visita guiada à Fábrica Romana de Salga de Peixe de Cacilhas
Venha conhecer de perto da Fábrica Romana de Salga de Peixe de Cacilhas através de uma visita guiada por arqueólogos da Câmara Municipal de Almada.

Inscrição prévia obrigatória até 17 de junho através do email arqueologia@cma.m-almada.pt



Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 10:30 à 12:30

Crianças, Famílias, Adultos, Todos os públicos, Estudantes

Lisboa, Setúbal, Palmela

Cineteatro S. João

Rua Gago Coutinho e Sacadura Cabral
2950-204 Palmela

http://www.cm-palmela.pt/

Jornadas Internacionais “Amanhar a Terra. Arqueologia da Agricultura (Do Neolítico ao Período Medieval)“.

Conferência

Jornadas Internacionais “Amanhar a Terra. Arqueologia da Agricultura (Do Neolítico ao Período Medieval)“
As materialidades da agricultura, essencialmente de proveniência arqueológica, mas também as dimensões económica, social e cultural, desde o Neolítico ao Período Medieval, são os principais propósitos destas jornadas, dedicadas à agricultura.

10.00 €, Existem taxas de desconto

Sábado, 19 de junho de 09:10 à 18:30 Sexta-feira, 18 de junho de 09:10 à 18:30

Todos os públicos

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas

Lisboa, Setúbal, Palmela

Biblioteca Municipal de Palmela

Largo São João Baptista
2950-214 Palmela

http://www.cm-palmela.pt/

Exposição de arqueologia do Museu Municipal de Palmela, de caracter itinerante, que dá a conhecer a longa história sobre a ocupação humana do território, através de cinco artefactos que se assumem como narradores de uma história milenar que nos aproxima de um tempo e modos de vida do passado, numa viagem de descoberta.

Exposição

De Palmela ao Poceirão. Uma viagem arqueológica
Exposição itinerante.

Acesso grátis

Sábado, 19 de junho de 14:00 à 19:00

Todos os públicos

Acessibilidade

Dificuldade motora/utilizador de cadeira de rodas